Podemos concordar em discordar??

Vocês já perceberam que o “diferente” está sendo rechaçado? Não estou falando das minorias nem dos excluídos, apenas de quem pensa ou age diferente. Vou explicar melhor: Quando circulamos no mundo (ruas, restaurantes, trabalho) somos obrigados a lidar com pessoas e situações não planejadas ou escolhidas. Essa troca pode ser maravilhosa, estressante, ok ou péssima mas ela sempre enriquece. Nos confrontamos com outras visões de mundo e em cada troca somos um pouquinho afetados.

Sabe quando vamos a um restaurante e pedimos um menu degustação?? Acabamos experimentando sabores que provavelmente não escolheríamos. Dali às vezes surge um novo prato favorito ou idéia de combinação nunca antes imaginada. Quando pedimos comida em casa, geralmente miramos no conhecido; no menos arriscado. 

Isso já vem acontecendo com música, filmes, notícias, etc. Nesse mundo virtual feito sob medida, somos direcionados a consumir apenas aquilo que gostamos: o sistema se incumbe de nos apresentar o que analisou ser do nosso perfil.

Estamos empobrecendo. Não digo economicamente mas como seres humanos. Excluímos do Facebook aqueles com pensamentos discrepantes, limpamos o Instagram para permanecerem apenas os que não causarão desconforto e deixamos de falar com quem age diferente de nós. O “PRÉ-conceito” está crescendo e consequentemente a intolerância. Quanto mais distantes, menos empáticos. O diferente se tornou ameaçador. Isso não significa que temos que aceitar tudo e todos, mas precisamos ficar atentos aos critérios seletivos.

Estamos perdendo a capacidade de colocar nosso ponto de vista sem diminuir ou desrespeitar o outro. Será que não sabemos mais argumentar sem agredir? Precisa haver um vencedor nas discussões? Talvez possamos concordar em discordar. Se todos fôssemos iguais, o mundo não funcionaria. Profissões que para uns são inimagináveis, para outros são o sonho da vida. Ainda bem que somos diferentes!

Se existe um aprendizado indiscutível dessa pandemia é o quanto estamos absolutamente interligados com todos do planeta terra. Não é opcional, apenas um fato. Pensar no que é melhor para si precisa englobar o outro já que estamos todos entrelaçados em uma mesma trama. 

 

Roberta Beczkowski